EVENTO DO 4º ANO 2017 – DESLOCAMENTOS E TRAJETÓRIAS

 
O sábado mal havia nascido quando os tambores anunciaram o chamado para um encontro de cores. Cores além de fronteiras, cores de peles e de suores, cores da humanidade. A percussão cadenciava a curiosidade de gente pequena acostumada a refletir.
      
Avançaram pela Escola ávidos, intensos e observadores. Caminhando para um centro de possibilidades de trajetos, nossas crianças perceberam seus corpos tatuados por mapas, bordas e palavras. Palavras que definem a existência: nomes, sobrenomes, logradouros. Pensamos, sentimos, amamos, brigamos e sonhamos com palavras. Existimos nas palavras. Em um Brasil de tantas convivências, é essencial a reflexão de sotaques e saberes. De onde você vem? O que determina sua origem? Por onde você caminha? Qual é o seu lugar?
 
Somos um país de muitas etnias. Nossas diferentes manifestações culturais e nossos variados modos de viver garantem aos nossos alunos a oportunidade de reflexão e a ampliação de conhecimentos sobre mundos e pessoas. Transitando pela biografia dos familiares, ouvindo relatos migratórios, recebendo as famílias para cozinhar, degustando charutinho de uva com cacau e graviola, expandimos, incrementamos e enriquecemos as experiências e a competência das crianças.
 
A manhã foi dedicada a plenos entrelaçamentos e conexões. Tramas em cruz abrindo espaço para oficinas de carimbo. Jogos de percurso alternando com raciocínio matemático. Arrumar a mala para o RepLago em Inglês e improvisar um cordel cadenciado e melodioso: É de gente sabida que falamos / Gente que desloca e transita / Alunos bem apropriados / Na matemática, inglês e escrita / Nada segura a potência / Dessa criançada tão bonita.
 
Cabe à nossa Escola trabalhar com esse entrelaçamento e conexões. O mundo e toda sua diversidade se oferece diariamente para essa geração bombardeada de estímulos. Basta uma palavra e já temos um verso. Uma linha, um esboço. Um olhar e o pensamento dilata.
 
É, portanto, a Escola, o lugar de testemunhar todo o processo dos saberes. A mistura de uma tinta, as regras de um jogo, a revisão de um texto, o tempo de um cozimento, a lógica do raciocínio. É por nossos corredores, salas e cantos que as linhas se multiplicam definindo e contornando os anseios de uma geração multifacetada. Ora o conhecimento caminha em paralelo, ora se entrelaça. Deslocando hipóteses, nossos estudantes avançam em suas trajetórias individuais ou coletivas. É na Escola, onde a criatividade e rigor correm em paralelo por caminhos de experiências e investigações. É onde estética e poética se oferecem como possibilidade de construção de um mundo melhor.
 
O evento do 4º ano nos trouxe esse aprofundamento e essa pausa (necessária). Ofereceu o espelhamento de nossas origens, a gramatura de nossas identidades. Trouxe um olhar deslocado para além das nossas fronteiras e tonalidades. 
 
E, assim como na chegada, nosso encerramento demonstrou a força do ritmo percussivo e ritualístico que celebra as grandes conquistas. Em rodas de maculelê, nossos pequenos entrelaçaram seus bastões, afinaram-se ao ritmo do parceiro e transformaram-se em gigantes potentes e guerreiros. Cheios de cor!
 
 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

14.11.17