EVENTO 3º ANO 2017 – OS RIOS E AS CIDADES

 
 
“Na bruma leve das paixões
Que vêm de dentro
Tu vens chegando
Pra brincar no meu quintal.”
(Alceu Valença)
 
 
Foi anunciando imensa euforia que os alunos do 3º ano romperam os portões da Escola na manhã de um delicioso sábado ensolarado. Apropriados de seus projetos urbanísticos, palestraram sobre os contornos de uma cidade e seus rios. Por meio do desenho e do plano tridimensional, as crianças puderam pensar em cidades diferentes, idealizadas. Com suas composições, linhas, formas e perspectivas aéreas, os alunos investigaram a complexidade dos centros urbanos a que chamamos de morada.
 
A manhã fluiu como um rio descendo sua corredeira e cumprindo seu destino. Como água corrente e fluida respingando e salpicando contra rochas pontiagudas, refletimos sobre poluição urbana, sustentabilidade e reciclagem. A turbulência desses questionamentos nos fez refletir sobre a construção do futuro dessas crianças potentes, globalizadas e conectadas. Não reciclar pode ser mico? 
 
Tanto quanto um leito de rio, devemos preservar nossas crianças do atropelo deste mundo contemporâneo e descartável. Criando e reciclando na cozinha, caminhando pelas ruas da Escola para coletar lixo, compondo líquidos e nuances, refletindo em palestras de convívio com as águas, nós evitamos (ou suavizamos) o assoreamento dessa geração borbulhante que transborda possibilidades.
 
A construção de microuniversos das fábulas de outrora possibilitaram uma singela conexão com nossas delicadezas. Com olhos cheios de entusiasmos, as caixinhas foram se compondo e nos oferecendo um inédito estado de alegria e contemplação. Diante da crescente seriedade que nos exigem os dias, fomos acalentados pela sutileza de colar um botão, prender um bordado ou trançar um fitilho.
 
Going to the zoo! No trajeto ao zoológico, alunos percebendo a relevância das preservações de mata ciliar, de florestas, de chapadas, vales, mares e rios entre bears, whales, kangaroos and rabbits! O encantamento pelas cartas pausou nossos alunos no desejo de enviar memórias, desejos e desabafos. Acomodou os pensamentos, trouxe ternura ao letramento e selou um aprendizado significativo desse gênero estudado.
 
Foi uma manhã de mergulhos. Nada rasa! Ninguém à margem espiando o tempo e seus mistérios, todos submersos na cumplicidade de um delicado encontro entre pais, filhos e escola!
 
Carol Mennocchi - Sala de Leitura F1